terça-feira, março 02, 2010

Círculo de energia





Ao longo dos dias ouço milhares de queixas! E confesso que cada vez mais sou alérgica a queixar-me e ouvir queixas.


As pessoas queixam-se que está frio, que está sol, do namorado, da solidão, do peso a mais, do peso abaixo do esperado!!! No fundo, queixam-se, quase sempre, e ai reside a estranheza, independentemente das circunstâncias!!! Depois existem dois tipos de queixa: as leves e as pesadas!


As leves são passageiras, cúmplices, porto de abrigo de mudança e não sugam energia. São queixas de quem não se vitimiza e vai, desbravar caminhos de responsabilização, para crescer e deixar velhos padrões e queixas.


As queixas pesadas são "vampirismo de energia puro". Não procuram nada a não ser queixarem-se.....Quando ficamos em silêncio e a escutar e fácil perceber que nem vale a pena, a maior parte das vezes opinar!!! O que se procuram não são soluções -são espaços de antena!
Claro está que existe o lobo mau porque havia uma capuchinho vermelho....


As queixas pesadas subsistem porque existe sempre alguém ( que no fundo somos todos nós, consoante os dias) que se valida e aliva a culpa ao ouvir, ajudar e esgotar-se no resgate de uma queixa pesada!!!


Acima de tudo as pessoas precisam que as ouçam, as escutem, que as amem.

Em última instância é o Amor Universal que procuramos. Claro está, por caminhos distintos. Há quem leia, há quem teatrialize, há quem seduza, há quem fuja.

Mas independentemente dos caminhos e do Amor, há um que não dá para ignorar: o Amor que nos devemos a nós mesmo. O respeito, a calma, a observação diária, o acarinhar permanente da nossa essência.


E aí reside o drama actual. Todos desatamos à procura "desse estranho bicho o Amor" não percebendo muitas vezes que, sem a terra estar lavrada não há semente que pegue!!!



Há que começar pelo próprio. Por nos amarmos incondicionalmente, com as nossas virtudes e defeitos, com as nossas falhas e vitórias. Há que ter calma com as nossas evoluções, perceber o que nos falta e acima de tudo agradecer a todos os que passam no nosso caminho. Todos mesmo aqueles que nos traem, mentem, enganam, manipulam. Se calhar até mais a esses "inimigos" porque graças a eles, percebemos o nosso valor, a distância do que fomos e do SOMOS.

"Obrigado pelos obstáculos" que nos fazem crescer, perder, ganhar. Todas as pessoas que cruzam a nossa vida encerram lições em si mesmo. Muitas vezes, no cúmulo do egoismo, manipulação encerram em si mesmo lições essenciais de auto-estima que deveremos ter para connosco.




O Amor Universal é o grande espelho do Amor que nos mora na alma





Carpe Diem





Morgana

3 comentários:

Cristina disse...

POis é...deixamos de ouvir no dia em que nos cansamos, em que percebemos que somos mais importantes do que estes sugadores de energia, no dia que percebemos que não mudamos ninguém e que estas pessoas não querem mudar, querem sim desgastar quem está à sua volta.
Para dizer basta, é necessário delinearmos um novo caminho centrado em nós.Saber dizer não aos outros e sim a nós mesmos. Ao termos respeito por nós, não nos é permitido tempo perdido com estes parasitas sociais.
Carpe Diem

Cristina disse...

esta imagem atrai-me mas não consigo explicar o porquê. É estranha, repele-me e ao mesmo tempo sinto algo de maravilhoso quando a observo. Esquisito? Talvez mas eu também sou...

RA disse...

Olá mana do Norte !! Tenho andado muito desligada dos meus amigos e do escrevem nestes últimos tempos. Adorei ler o que escreveste e continuas a fazê-lo de uma forma brilhante! Está tudo dito e com uma grande clareza, tal e qual é a realidade. Um beijo muito quentinho aqui de baixo com muitas saudades.

Carpe Diem