quinta-feira, março 01, 2007



Miosótis. Gosto desta flor.É pequena,discreta, intensa, de um azul profundo. Relembra-me Milan Kundera no livro Imortalidade. Relembra-me um ramo que nunca tive, que não sei se existe, um ramo sonhado e idealizado por mim. Um ramo de um pedaço de céu roubado da florista ou do quintal da vizinha. Eu, ainda gosto de sonhar com flores, com abraços, com gesto de cavaleiro andante com dois cavalos. Hoje cultiva-se o sonho do salário, do IRS, do carro, da casa e da ostentação. Eu, por engano, tolice ou por fé, sonho com flores, com risos, com cócegas, com Beninis. Essa força de bondade e beleza sim, enche-me a alma

De risos desencontrados, de mãos cúmplices, de atacadores desapertados, e de ramos de miosótis na mão

Morgana

3 comentários:

Rosa Alexandra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosa Alexandra disse...

E apenas assim tem sentido existir uma pessoa como tu, com esse toque de paixão e a dose de loucura recomendada...mesmo com todos as tropelias da vida a tua chama da vida mantém-se inabalável!!!És uma força da Natureza e uma amiga deveras especial, aliás ÚNICA!!!!
Beijoquitas muito grandes!!!!

Palhaço Voador disse...

também tu é uma clown :0)